musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - TRISTE VINGANçA - REALIDADE CRUEL - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Triste vingança letra


Vamo que vamo porque a guerra não é contos de fada, não é sonho
Ninguém vive pra sempre nem os monstros até os mais loucos
Que falavam que eram pãm talibã
Que gostavam de pagar de Lacoste e P. Cardin
E A4 filmado com couro e teto solar
E os cordão de ouro nervoso e dólar pra gastar
E só de rasgar...vummm...as marginal
Degustar champagne e lagosta na moral
Passa mal, zé povinho quando vê num entende
Quer saber da onde vem os plaquê, as BMW
Os cartão, se é tudo vagabundo ninguém ripa?
De sol a sol, bermudão sem camisa
Nos peão feliz sempre sorrindo à toa
O que é que cê me diz em plena terra da garoa
Onde é tudo mais suado, tudo é mais difícil
Até parece mágica, parece mesmo incrível
E a gente sai e volta, tudo se resolve
Outros furos de ar na rota e os malote
De novo tem festa no morro deixa vim
As gostosa que gosta de colar e de curtir
Se aqui é assim lamentável pra quem perde
Pra alguém subir, com certeza outro desce
E amanhã tem outros boi e o chicote vai estralar
O barato é louco, deixa a chapa esquentar

Aí vem a dúvida e a incerteza
Em questão de segundos desmorona a fortaleza
Você que sempre acreditou, se dedicou
Agora veja oque restou

Aí vem a dúvida e a incerteza
Em questão de segundos desmorona a fortaleza
Você que sempre acreditou, se dedicou
Agora veja oque restou

Sonhei desde muleque em ser jogador
Ou talvez cantor de rap, mas nunca catador
Deus me livrou várias vezes das garras do inimigo
Debaixo das traca que raja o corpo furado de tiros
E nem assim foi suficiente
Ver minha mãe infeliz, eu entupindo os pentes
Aos 22 condenado a mais de 30
Procurado em São Paulo, interior e Baixada Santista
E na quadrilha 15 ao meu redor
Seja bem vindo à família, meu querido, cê nunca tá só
E vai firmão ó, fortão consagrado
Eu por vocês, vocês por mim e que Deus seja louvado
Ergui a cabeça e com fé fui pra guerra
Batendo de frente o justo não treme, o guerreiro não gela
Frase linda né, puta que o pariu
Deu vontade de pintar num outdoor de azul anil
Mas cê num viu o dia que mataram meu irmão
Deram mais de 20 sapeco no peito e no pulmão
Na frente das crianças mais de 10 homens de farda
Mataram a esperança de alguém que só estudava
E sonhava com um mundo menos cinza e mais cores
Flores apenas no caixão e só as dores
Pra quem aqui ficou a vida é assim
Se ele se foi eu sei que foi por mim

Aí vem a dúvida e a incerteza
Em questão de segundos desmorona a fortaleza
Você que sempre acreditou, se dedicou
Agora veja oque restou

Aí vem a dúvida e a incerteza
Em questão de segundos desmorona a fortaleza
Você que sempre acreditou, se dedicou
Agora veja oque restou

Coração em pedaços, era hora de vingar
A mãe de quem matou um dos meus vai chorar
Nada importa pra mim o luxo, a fama, a glória
Essas rosas do jardim entristeceram, estão mortas
É hora de glóck, 900cc a maior
Sentar o pau no PM a paisana sem ter dó
Demorou, se prepara que a sua morte tá chegando
Ela veio de carona e fui eu quem vim guiando
Desci atirando e o tumulto foi geral
Gritaria corre, corre...gente passando mal
Quando vi ele caído conferi
Com um olhar entristecido acenava pra mim
Tipo assim pra eu parar de atirar
Lamentável, acho que não vai dar
Mirei...nos olhos e apertei
Aos céus, me perdoe, pelo amor digo amém
Montei num cavalo de injeção eletrônica
Rasgando as avenidas com nó na garganta
Sensação de alívio, não sei tudo é confuso
Apenas o que sei é que me sinto em outro mundo
Lembrei dos sonhos de consumo que almejei
O tempo que na quebrada era tido como um rei
E o pá que chegava e distribuía pros muleque
Doce em brinquedo da primeira mobylette
Pra Suzuki mais nervosa foi um pulo, foi um tapa
Picotando as estrada, apavorando onde passava
Veja só onde me encontro e de que forma
Tá tudo embaçado, nebuloso à minha volta
Merda, a foto do outdoor me observa, me encara
Meio que me avisando que eu tô indo nessa
O vento vem batendo no meu rosto
Lembro da minha mãe, vem na mente meu filho mais novo
A boca seca, o que que é isso, que estranho
Meio que sem força, ó, no pulso a moto foi parando
Um calafrio sensação esquisita
De repente um arrepio um frio na espinha
Tô me sentindo mais leve minhas pernas, meus braços
Não sei quando piso no asfalto
Algo tá errado alguém me ajuda
Me falta ar, o corpo flutua
Agora que o chicote estralou intendi
Que no tiroteio matei, mas morri
Fazer o que, agora acabou
Pra minha mãe só sobrou sofrimento e dor

"- Olha é duro pra uma mãe enterrar o próprio filho, não é fácil."

Aí vem a dúvida e a incerteza
Em questão de segundos desmorona a fortaleza
Você que sempre acreditou, se dedicou
Agora veja oque restou

Aí vem a dúvida e a incerteza
Em questão de segundos desmorona a fortaleza
Você que sempre acreditou, se dedicou
Agora veja o que restou

Realidade Cruel - Letras

©2003 - 2017 - musicas.mus.br