musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - PASSA A BOLA - REALIDADE CRUEL - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Passa A Bola letra


Realidade Cruel, Flagrante e uma engatilhada,
Se ligue, se toque na agulha, maluco não deixe mais falha,
Conheço bem sua procedência, sujeito ladrão de varal,
Veio de outra quebrada cuzão se julgando o tal,
Crackeiro profissional, pedreiro a moda atual,
Seu viciado arrombado aqui você passa mal,
Pois lembre bem que você mora aqui na quebrada,
Passa por mim, me cumprimenta na maior cara lavada,
Pensa que aqui tem algum otário seu safado pilantra,
Estamos bem informados, você rouba a vizinhança,
Foda-se sua pessoa eu penso bem por aí,
Se quer usar, desandar eu não to nem aí,
A droga é uma viagem para o inferno maluco,
Continue firme nessa e se acabe nesse produto,
Nem tanto pela droga, mas pelo filho da puta,
Que põe dinheiro no cachimbo roubando coitados na rua,
Gente pobre na luta, trabalhador ta na escuta,
Aposentado é roubado, ás vezes assassinado,
Pode crer meu proceder nunca desarrumar com ninguém,
Um baseado de vez em quando até que me faz um bem,
Um goró coisa e tal isso que é ficar legal,
Trocar uma idéia com os manos, aprender ensinando,
A lei da rua é foda sem direito á fulano,
Vai no cachimbo seu nóia que eu continuo rimando.

Refrão:
Passa a bola ladrão, passa a bola ladrão,
Muita fumaça no ar, muita fumaça no ar,
Passa a bola ladrão, passa a bola ladrão,
Vai no cachimbo seu nóia que eu continuo a rimar.

Dou uma bola pá acendo a bomba,
Só mano na responsa, aliado na responsa,
Ladrão fuma um mês e pra relaxar,
Vacilão usa pedra pra se matar,
Só sangue bom até a alma, quadrilha de morte,
Realidade Cruel, Face da Morte, a banca é forte,
Aí Sandrão veja só você,
Ato de mocó, vacilão sem proceder,
Seu antecedente criminal eu contesto,
Duque 13 há deixa quieto,
Paga de terror, paga de ladrão,
Mas eu conheço seu passado na prisão,
Primeiro dia banho de sol,
Unha pintada, sobrancelha, baby dó,
Mãe de cela do xis antes do seguro,
Aqui fora o ladrão paga de maluco,
Cachimbo, cinza de cigarro, isqueiro,
Crack aí parceiro nem a pau, nem fodendo,
Falou, falou, vou me retirar,
Só um baseado ás vezes deixa a fumaça no ar.

Refrão

Lá na tv as pessoas fazem campanhas contra as drogas e tal,
A maioria se droga na maior cara de pau,
Esse é o exemplo de que a elite comanda a parada,
Já ouviu falar de polícia que abastece bocada?
Você acredita ou não, tire sua conclusão,
Sem acerto eles enquadram sua boca meu irmão,
Você lá na prisão lendo jornal com os ladrão,
Te deram cana em um quilo, o resto dividirão,
Consumiram, venderam, quem é que vai provar isso?
Se mete com a justiça você ta fudido,
Tem certos filhos da puta que deviam morrer no ninho,
E os bate palmas vir na delegacia dando um trampo pros homens,
Trocam cabeça, otários finados ambulantes,
Pai de família, um sem-vergonha, cagueta, zóião,
Depois lá a família diz: "que pena ele era tão bom"
E os filhos crescem revoltados com a perda do pai,
Nem imaginam o pilantra, fazer o que, pai é pai,
E tem cobrança, mais um homicídio na quebrada,
Assim funciona o dia á dia, trairagens, mancadas,
Enquanto eu vou rimando tem vários malucos se acabando,
Na farinha e no crack, no crime vão se matando,
Na fissura da droga continuam roubando,
A cadeia é triste sem direito á fulano.

Refrão

Mas tudo bem que existem traficantes, malucos ponta firme,
Cada um na sua profissão, cada um se define,
Estamos na mesma luta, sobrevivência pelo pão,
A sociedade condena, somos rejeitados sem perdão,
E se queremos justiça teremos que usar as próprias mãos,
E sem dinheiro traficam, roubam e matam com razão,
Por que o governo não dá a mínima e a fome dói no coração,
Uma revolta incontida de querer ser um cidadão,
Mas o destino ironiza, forçam ser o que não são,
Se atrasam na bocada mais um moleque no caixão,
No 157 no crime não dá mancada é ponta firme,
Agora ta sem correria perdeu o seu calibre,
Sem dinheiro perdeu o direito de viver então,
E a mãe que chora e diz que não foi falta de educação,
Taí a minha conclusão onde eu queria chegar,
A droga empestou tudo aqui neste lugar,
Não só aqui, você entende o que eu quero dizer,
Mas é que aqui eu vejo cobrança de perto acontecer,
Não pague pra ver seu filho um dia se foder,
Entrar no mundo do crime, nossa esperança é você,
Que deu á luz, deu a vida aquela criança linda,
Espero que seja sempre assim para o resto de sua vida,
Taí a minha explicação onde eu queria chegar,
O crack empestou tudo aqui neste lugar.

Refrão.

Realidade Cruel - Letras

©2003 - 2017 - musicas.mus.br